"A ROTA e a GCM. Você vai ver o que eu vou fazer pela segurança"

Os candidatos José Serra (PSDB) e Celso Russomano (PRB) estão empatados na liderança da disputa pela Prefeitura de São Paulo, segundo pesquisa Ibope encomendada pela Rede Globo em parceria com o jornal O Estado de S. Paulo e divulgada na noite desta sexta-feira no SPTV 2ª edição. Serra aparece com 26% das intenções de voto e Russomanno com 25%.

Apostando em uma campanha corpo-a-corpo, o candidato do PRB à prefeitura de SP, Celso Russomanno, fez na manhã desta sexta-feira uma viagem de metrô até a estação da Sé e uma caminhada pelas ruas do centro. Na primeira atividade oficial de campanha, o candidato apresentou suas propostas nos vagões apinhados de gente e no Marco Zero, sob um barulhento coro de um grupo de jovens. Russomanno caminhou do diretório do partido até a estação São Judas, de onde embarcou para o centro. Entre os pedidos de desculpas pelos transtornos causados aos usuários, o candidato parava a cada grupo de quatro ou cinco pessoas para falar sobre diversos assuntos. "Vou pagar mais aos médicos e fazer eles trabalharem quarenta horas por semana, e irem na casa das pessoas", disse ele a uma passageira. "Vai botar a ROTA na rua, hein?", brincou outra. "A ROTA e a GCM. Você vai ver o que eu vou fazer pela segurança", respondeu. Durante o trajeto, a equipe que o acompanhava pegava nome, telefone, endereço e Facebook de todos os que tiravam fotos ou conversavam com o candidato. O intuito é focar a campanha nas mídias sociais. Para divulgar a imagem do candidato, a equipe vai postar as fotos na internet e "taggear" no Facebook quem aparecer nos registros ao lado de Russomanno. Além disso, as imagens serão enviadas para os endereços informados. Outra plataforma usada na campanha é o Twitter. Durante a caminhada, uma assessora de Russomanno fazia posts no microblog. Após desembarcar na Sé, Russomanno caminhou até a sede da OAB-SP, cujo presidente licenciado é Luiz Flávio Borges D'Urso. Candidato a vice na chapa, acompanhou o candidato. Na praça da Sé, o candidato avaliou sua viagem em uma rápida coletiva à imprensa. "O metrô não é ruim, mas temos que estimular outros meios de transporte", afirmou. Russomanno promteu reduzir as tarfias de taxi e defendeu o táxi compartilhado, ônibus com ar condicionado e criação de empregos em áreas periféricas. "Vai ser uma economia em cada canto. Vamos reduzir impostos para as empresas e possibilitar que a pessoa trabalhe e viva no mesmo bairro."