GCM afasta 12 guardas após o uso de câmeras para espiar partes íntimas de mulheres

Câmera foca em partes íntimas de mulher (Foto: Reprodução/EPTV) 12 GCMs foram afastados do trabalho depois das denúncias de uso indevido das câmeras de vigilância. Um vídeo divulgado na quarta-feira (11) revela que os responsáveis pelo monitoramento focalizam partes íntimas de mulheres nas ruas, quando deveriam observar situações suspeitas. Nas imagens, uma mulher e um casal são focalizados pelas câmeras de forma constrangedora.

LEIA mais.....

Uma sindicância administrativa já foi aberta pela Prefeitura para apurar a conduta dos funcionários da GCM. O promotor Raúl de Melo Franco Júnior, encarregado da denúncia, deu um prazo de 15 dias para que a Prefeitura informe as medidas tomadas no caso. Araraquara tem hoje 24 câmeras espalhadas pela cidade e, segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, 16 funcionam.
Segundo o secretário de Segurança Pública, Eli Schiavi, os guardas afastados da Central de Monitoramento continuam trabalhando em outras funções na GCM e ainda não há provas concretas do envolvimento deles no caso. A Prefeitura não informou como chegou aos nomes dos afatados e também não divulgou em qual turno trabalham. “Nas imagens que nós vimos até agora não dá para ver data e horário, mas assim que tivermos essas informações teremos condições de identifica-los porque existe uma escala documentando quem trabalha em cada turno”, explicou.
Além desses vídeos, os guardas municipais também teriam uma pasta com mais gravações de partes íntimas de mulheres. Todas também teriam sido feitas pelas câmeras de monitoramento e compartilhadas entre eles. “Nós já fizemos uma varredura e não encontramos nada de irregular no nosso setor de monitoramento, talvez tenham criado uma pasta em computadores particulares”, afirmou o secretário.

Os moradores da cidade ficaram indignados com a falta de privacidade gerada pela falta de comprometimento dos operadores do equipamento. “Falta de respeito com o próprio serviço e deveriam prestar atenção em outras coisas, os bandidos estão soltos”, disse o operador de empilhadeira Inácio de Almeida. “Se o profissional está lá para fazer o serviço dele, deve fazer com decência, não ficar fazendo esse tipo de coisa, que é uma falta de respeito com a população”, comentou a professora Lenice Gonçalves.
Vídeo foi divulgado em coletiva de imprensa em Araraquara, SP (Foto: Felipe Turioni/G1)O vídeo

Um vídeo divulgado pela vereadora Gabriela Palombo (PT) e entregue ao Ministério Público revelou que os responsáveis pela vigilância focalizam partes íntimas de mulheres nas ruas, quando deveriam monitorar situações suspeitas.

O material exibe duas situações em que uma mulher e um casal são focalizados pelas câmeras de forma constrangedora. Na primeira situação, uma mulher que anda pela Rua Nove de Julho, um dos principais corredores comerciais da cidade, é seguida pelas câmeras, enquanto seu decote era focalizado.

Em outra parte do vídeo, um casal de adolescentes é flagrado enquanto namora em um banco da Praça Pedro de Toledo, na região central. No momento em que os jovens se beijam e se acariciam o responsável pelo monitoramento foca no meio das pernas da garota.
Jogo de futebol
Além dos vídeos, duas fotos mostram irregularidades na conduta dos funcionários responsáveis pela vigilância das ruas da cidade. Em uma delas é possível ver o monitor principal da Central de Câmeras sintonizado em um jogo de futebol. Outra foto mostra os monitores, que deveriam funcionar 24 horas, desligados e sem nenhum funcionário na sala de operações.

FONTE - G1 - http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2013/12/gcm-afasta-12-guardas-apos-uso-de-cameras-para-espiar-mulher-e-casal-araraquara.html