Continua Internado Um Dos Quatro Guardas Municipais Agredidos Durante Réveillon Em Itararé

Briga envolvendo moradores e guardas municipais aconteceu durante réveillon, na Praça Coronel Jordão, em Itararé (Foto: Milton Luís Komnicki)Segue internado na Santa Casa de Itararé (SP), um dos quatro guardas municipais agredidos por um grupo de moradores durante a festa de réveillon, na madrugada de quarta-feira (1°). O estado dele é estável.


Veja o vídeo:




(Foto: Milton Luís Komnicki)

A Polícia Civil de Itararé (SP) abriu inquérito para apurar a briga que envolveu um grupo de moradores e guardas civis municipais durante a festa de Réveillon, na madrugada de quarta-feira (1°). Quatro oficiais ficaram feridos e um deles segue internado no hospital da cidade com fratura no crânio. Uma viatura teve o vidro traseiro quebrado.

De acordo com o delegado responsável pela investigação, Vitor Bacetti, o inquérito deve ser concluído em 30 dias. Ele vai ouvir as testemunhas e os envolvidos na confusão. Ele espera receber o apoio da população para encontrar os envolvidos na briga, já que não há câmeras de monitoramento na praça. “A viatura que foi danificada pelos baderneiros também foi submetida a pericia. Nós começamos a fazer os primeiros depoimentos dos envolvidos. Vamos fazer o reconhecimento, buscar testemunhas isentas, que não fazem parte dessa ocorrência, para a gente tirar uma conclusão do que aconteceu“, afirma.

A confusão aconteceu na Praça Coronel Jordão, onde duas mil pessoas estavam reunidas para assistir a queima de fogos de artifício na virada do ano. Segundo a Guarda Civil Municipal, a briga começou logo após as 0h. Um grupo de pessoas passou a quebrar garrafas de vidro no chão.
Briga envolvendo moradores e guardas municipais aconteceu durante réveillon, na Praça Coronel Jordão, em Itararé


 (Foto: Milton Luís Komnicki)

Briga aconteceu durante festa do réveillon

Ainda de acordo com a GCM, os guardas pediram para o grupo parar de jogar as garrafas e foram desrespeitados. Durante as últimas semanas de dezembro houve uma campanha na cidade alertando que a prática seria proibida para evitar que as pessoas se machucassem e danificassem o patrimônio público.

“Ocorreu essa orientação e houve uma desinteligência no local. Ao ser orientado, o grupo começou a atirar garrafas nos guardas, policias militares, e também contra a população presente no local”, explica o guarda municipal Jocimar Ribas.

Alguns feridos relatam que os guardas agiram com violência, inclusive, com pessoas que não estavam no meio da confusão. O ajudante geral Aguinaldo José Camargo conta que foi agredido sem motivo por um guarda sem farda.
saiba mais

Guardas municipais ficam feridos em briga na festa do réveillon em Itararé
De acordo com o morador, ele levou um soco no olho. “Eu estava passando lá normalmente, mas os guardas estavam muito agressivos. E tinha um sem farda que quando eu olhei para ele, levei um muro no olho. Falei com outros guardas, mas disseram que não poderiam fazer nada... que era para eu ir ao hospital e fazer uma ocorrência. Eles estavam batendo em qualquer pessoa, então, a turma começou a se revoltar e quebrou a viatura”, diz.

O operador de máquinas Milton Carlos Amaral Roque tmbém registrou um boletim de ocorrência contra os guardas. Ele afirma que foi atingido por um cassetete quando estava na praça com a esposa. Ele afirma que o casal estava longe da briga. “Estava acontecendo uma briga longe de mim, mas um guarda veio por trás e me bateu. Ele ia bater mais, mas minha mulher pulou na frente dele e ele parou”, ressalta.
Posição da GCM

A Guarda Municipal de Itararé informou, por meio de nota, que os oficiais só reagiram depois de terem sido agredidos com pedradas e garrafadas, portanto, se não houvesse a reação dos guardas, a situação seria ainda pior. "A confusão só foi contida com a chegada de outros guardas que estavam de folga", afirma o comando da GCM.
A nota explica ainda que o procedimento foi legítimo e que será comprovado durante o inquérito policial e o processo judicial.

Vidro traseiro da viatura foi destruído por pedras, em Itararé (Foto: Divulgação/ Guarda Municipal)

fonte - http://g1.globo.com/sao-paulo/itapetininga-regiao/noticia/2014/01/policia-civil-abre-inquerito-para-investigar-briga-em-itarare.html