POLICIAL colide VEICULO é PERSEGUIDO - Para em POSTO de GASOLINA - CALMO tenta RESOLVER - VEJA o DESFECHO dessa LOUCURA

Montagem criada BloggifAgredido com tapas no rosto ameaçado, Agressores aparecem nas imagens chutando e riscando o carro do POLICIAL com uma chave e quebram vidro e amassam seu VEICULO, o POLICIAL não se ALTERA nem agride", observou a magistrada

LEIA mais e veja o VÍDEO na INTEGRA .....







O disparo e a sucessão de fatos que imediatamente o antecedeu e o motivou foram gravados por duas câmeras de segurança do posto, situado na Avenida Presidente Kennedy, no Bairro Ocian. A mais completa das filmagens tem duração de 14 minutos e 7 segundos, se constituindo na base da tese de legítima defesa sustentada pelos advogados e acolhida pela magistrada.

As cenas mostram o soldado Rafael estacionando no local o seu carro Ford Belina. No mesmo local chegou Thiago Colmenero dos Santos, de 27 anos, dirigindo um Fiat Palio e acompanhado da sua mulher, Jéssica dos Santos Brasil, de 22. Pouco antes, em outro lugar, os dois homens haviam se envolvido em pequena colisão. Thiago atribuía a Rafael a culpa pelo acidente e exigia imediato ressarcimento.

A partir daí, após objetiva e meticulosa análise de gravação, a juíza Suzana Pereira da Silva verificou que Thiago "desferiu tapas no rosto do indiciado [Rafael] sem que ele, em nenhum momento, o tivesse agredido". Antes, o motorista do Palio tentara retirar algo do bolso do soldado. Segundo os advogados do policial, a carteira do cliente contendo dinheiro e cartões de crédito e bancário era o que se pretendia pegar.

Chamado por meio de telefonema por Thiago, Salomão chegou ao posto "já intimidando o indiciado, fazendo menção que o agrediria com tapas no rosto. A vítima do sexo feminino [Jéssica], a seu turno, aparece nas imagens chutando e riscando o carro do indiciado com uma chave. Mesmo agredido e ameaçado pelas vítimas, o indiciado não as agrediu", observou a magistrada.

O trágico estopim do episódio, ainda conforme a juíza constatou na gravação, ocorreu no momento em que Rafael foi "cercado" pelas vítimas e Thiago pegou uma pedra para em seguida jogá-la no Ford Belina onde já estava o policial militar. O soldado, então, saiu do carro com a pistola, pertencente à PM, e disparou. Atingido, Salomão caiu entre o veículo do acusado e uma bomba de combustível. Thiago e Jéssica fugiram correndo.

As cenas finais mostram Rafael falando em seu celular no posto. "Ele acionou a PM, solicitou socorro para o baleado e permaneceu no local, pois nada temia diante da clarividente legítima defesa", acrescentou Salum. Porém, mesmo tendo acesso à mesma gravação analisada pela juíza, o delegado Eduardo Machado de Campos optou por autuar o soldado em flagrante por homicídio qualificado pelo motivo fútil.

VEJA o VÍDEO...